Mensagem da Quaresma e Dom Antonio Carlos Rossi Kaller

Brasão trabalhado (Quatrocchi).jpg

DOM ANTONIO CARLOS ROSSI KELLER

PELA GRAÇA DE DEUS E DA SANTA SÉ APOSTÓLICA

BISPO DE FREDERICO WESTPHALEN (RS)

MENSAGEM PARA A QUARESMA DE 2018

 

Irmãos e irmãs, da Diocese de Frederico Westphalen e homens e mulheres de boa vontade, a todos desejo a Paz do Senhor.

Estamos já vivendo o tempo santo da Quaresma. Ou seja, estamos já em um caminho em direção à Páscoa.

É o tempo durante o qual a Igreja nos convida a refletir e a tomar as atitudes necessárias para a conversão de nossa vida, endereçando com maior empenho os nossos passos para o Senhor.

Na verdade, este tempo especial é como um resumo de como deve ser nossa vida inteira: um contínuo dirigir-se para Deus. Uma autêntica volta para a Casa do Pai. Ou seja, uma volta para as fontes do amor de Deus.

A Quaresma nos remete para os quarenta anos vividos pelo Povo de Deus no deserto. Nos leva também junto a Jesus, nos quarenta dias vividos no deserto, preparando-se espiritualmente para o exercício de Seu ministério de salvação pela humanidade.

A sagrada liturgia nos conduz a fazer a nossa parte no processo de conversão, que tem a Deus como seu principal autor. Cabe-nos realizar, com humildade, as chamadas obras penitenciais. Estas ações buscam promover e potencializar uma autentica conversão de atitudes em nossa relação com Deus (oração), com os irmãos (esmola) e com nós mesmos (jejum). É o “espírito de penitência” que deve marcar nossa vida neste tempo santo, que nos leva a novas atitudes e novas inspirações de fundo em nossa existência cristã.

É natural que nada disso resolve se estas obras penitenciais forem simplesmente externas, sem alma, sem o auxílio fundamental da Graça. A conversão não é fruto de nossos esforços: é, antes de tudo, resultado da Graça de Deus acolhida e aplicada em nossa vida.

É importante salientar que este caminho penitencial tem momentos privilegiados na celebração dos Sacramentos, especialmente os da Penitência e a da Eucaristia.

O tempo quaresmal deve servir-nos para esta volta decidida aos braços de nosso Pai-Deus, através da celebração do sacramento do Perdão, bem como o participar do Banquete Sagrado que o Senhor nos oferece na Sagrada Eucaristia.

Neste ano, a Igreja presente no Brasil, como faz todos os anos, nos oferece um itinerário para a necessária conversão social. Através da Campanha da Fraternidade, somos convidados a nos colocar no caminho, para uma autêntica vivência da “Fraternidade e superação da violência”, já que como nos recorda o Lema da CF deste ano, “Somos todos irmãos” (Mateus 23,8).

São muito importantes estes dois passos na vivência de nossa Quaresma. O primeiro, que se refere à conversão pessoal, atuada em nossa vida pela Graça de Deus e que tem a nossa cooperação através da oração, do jejum e da esmola. O segundo, nossa atuação como cristãos, no meio da Sociedade civil, oferecendo nossa contribuição pessoal e comunitária, no sentido de uma Sociedade que não aceita e que combate, através dos meios lícitos, qualquer forma de violência, que sempre degrada e desumaniza a mesma Sociedade.

Vivamos irmãos e irmãs este tempo de conversão e de salvação.

Não nos esqueçamos de três coisas:

  1. Organizar em nossas Comunidades paroquiais os “grupos de reflexão” sobre o tema da Campanha da Fraternidade, através do material oferecido pelo nosso regional Sul 3 da CNBB.
  2. Celebrar o sacramento da Penitência, tão zelosamente oferecido pelos nossos padres, especialmente através dos mutirões de confissões que acontecem em todas as Paróquias e na Reitoria, em nossa Diocese.
  3. Da Coleta da Fraternidade, que acontecerá no Domingo de Ramos.

Desejo a todos uma Santa Quaresma de 2018.

+ Antonio Carlos Rossi Keller

Bispo de Frederico Westphalen (RS)


Cadastre-se e receba as Principais Notícias da Diocese no seu Email