O dom da fé

Para melhor compreendermos o tesouro da fé, vale a pena atentar de que são capazes os homens sem ela.

A primeira Leitura deste Domingo (1º Samuel 16,1b.6-7.10-13a) fala de como o profeta Samuel foi enviado por Deus, em segredo, a Belém, a casa de Jessé, para escolher e ungir um dos seus filhos para rei de Israel, em substituição de Saul, caído em desgraça. Quando viu Eliab, o filho mais velho julgou que estava na presença do eleito do Senhor, mas logo foi dissuadido da sua convicção. Através desta Leitura, Deus nos ensina a nunca julgar as coisas com simples critérios humanos

Antes de tomarmos uma decisão na vida, devemos pedir a luz do Senhor, para que aumente a nossa fé e a escolha seja acertada: na escolha da vocação, ou numa atitude a tomar com certa responsabilidade.

«O Senhor disse a Samuel: 'Levanta-te e unge-o, porque é este mesmo.'», referindo-se a Davi.  A luz da fé aparece-nos na Sagrada Escritura e na doutrina da Igreja como um dom de Deus. Leva-nos a ver as pessoas, as coisas e os acontecimentos como Deus as vê.

E, por isso, a visão das coisas e da vida a partir da fé é sempre acertada. Ninguém, como os santos, viram com toda a clareza os problemas e tomaram decisões no momento próprio, mesmo quando encontravam a oposição dos outros.

A fé é uma virtude, uma capacidade para agir, mas tem de ser alimentada, para dar frutos.

Devemos alimentá-la com a doutrina. O Senhor revelou-nos as verdades e nos ensina através da Igreja. E a Igreja nos fala nas Celebrações, nas boas leituras de livros, especialmente a Sagrada Escritura e nas pregações.

Uma das razões pelas quais a Igreja insiste com os seus fieis na necessidade de participar na Santa Missa nos Domingos e outros dias festivos é a necessidade de alimentarmos a fé recebida no Batismo. Muitos cristãos vivem como se no o fossem, por causa da ignorância religiosa.

A Quaresma é um tempo litúrgico de intensa formação doutrinal. É um catecumenato resumido em cada ano. Somos instados a formar propósitos para concretizar na vida as verdades aprendidas.

Também de cada Celebração da Eucaristia devemos sair com propósitos de vida: viemos aprender para praticar.

«Daquele dia em diante, o Espírito do Senhor apoderou-se de Davi.» Depois da descoberta daquele que Deus escolhera para rei, Samuel ungiu-o, cheio de alegria. A unção com o óleo significa a abundância dos dons de Deus. Também Davi, mantendo o segredo da escolha de Deus sobre ele, procurou muitas vezes libertar Saul da tristeza que o dominava, com as suas canções e bom humor.

A fé enche de esperança a nossa vida, porque nos faz ver as maravilhas que estão ao nosso alcance e nos ajuda a viver numa esperança alegre.



Cadastre-se e receba as Principais Notícias da Diocese no seu Email