Artigo semanal de Dom Antonio Carlos Rossi Keller: Apareceram como que línguas de fogo...

Apareceram como que línguas de fogo...

 

No dia de Pentecostes o Espírito Santo desceu sobre os Apóstolos em forma de línguas de fogo, que encheram os seus corações e os levaram a sair da segurança do Cenáculo, para irem por toda a terra, para falar de Jesus. Com uma sabedoria e fortaleza que não tinham explicação humana.

O Espírito Santo não só santifica a nossa vida, mas impele-nos a comunicar aos outros o amor de Deus, o amor que Ele que põe em nós. Como fogueira bem acesa que alastra o incêndio à sua volta. O mal deste mundo é que ainda hoje, muitos cristãos são fogueiras apagadas. Por isso não espalham o fogo do amor de Deus a ninguém.

Doze pescadores do mar da Galileia levaram a doutrina de Jesus ao mundo inteiro. Porque amavam a Jesus, porque o Espírito Santo encheu as suas almas de fogo, de sabedoria e de fortaleza para falarem de Jesus a toda a gente.

Perderam o medo às perseguições e aos sofrimentos por Cristo. O Espírito Santo fez que encontrassem alegria no meio desses sofrimentos. O livro dos Atos dos Apóstolos diz que os chefes dos judeus prenderam os Apóstolos e os mandaram açoitar. “Eles saíram do Sinédrio, contentes por terem sido achados dignos de sofrer pelo nome de Jesus” (Atos 5,41)

Neste Domingo de Pentecostes, nós podemos pedir ao Divino Paráclito que nos encha da sabedoria e do fogo do amor de Deus. E que nos conceda a fortaleza dos Apóstolos e dos primeiros cristãos. Ser discípulo de Cristo, nos três primeiros séculos, equivalia a ter a vida em risco. Muitos morreram mártires sofrendo alegremente por Jesus. E o cristianismo foi se alastrando por todo o Império Romano. “Sangue de mártires é semente de cristãos”, exclamava Tertuliano nos finais do século II.

Também hoje continua a haver mártires. Também hoje os cristãos têm de ser valentes. Também hoje os cristãos sofrem perseguições atrozes, calúnias, traições. O mundo precisa de nós para levar o amor de Cristo a toda a parte. É preciso ser valente, para seguir a Jesus nos dias de hoje. A valentia manifesta-se em coisas relativamente pequenas

Levamos o Evangelho não como alguém que tenta impingir uma mercadoria para proveito próprio. Levamos a mensagem de Jesus porque ansiamos repartir com os outros a alegria do amor de Cristo, o único que pode tornar as pessoas felizes.

Espalhamos essa felicidade com o nosso exemplo de alegria, com nossa amizade, com a nossa palavra e com a nossa oração e sacrifício. O mundo precisa urgentemente deste testemunho dos cristãos.

Deixemo-nos guiar pelo Espírito Santo. Com Nossa Senhora, roguemos-Lhe que venha aos nossos corações, que nos encha da Sua luz e do fogo do Seu amor.

Hoje, em todas as nossas Comunidades, as coletas das Missas e Celebrações são recolhidas para as Missões mantidas pelo Regional da CNBB do RS, em Moçambique. Sejamos generosos.



Cadastre-se e receba as Principais Notícias da Diocese no seu Email