Escadaria é uma das características da "Igreja das Dores" no centro de Porto Alegre (Foto: perfil facebook da Igreja Nossa Senhora das Dores)

Escadaria é uma das características da "Igreja das Dores" no centro de Porto Alegre (Foto: perfil facebook da Igreja Nossa Senhora das Dores) 

Pela sua imponência arquitetônica e artística, a Igreja Nossa Senhora das Dores "está inteiramente ligada à história da cidade, tornando-se um verdadeiro patrimônio histórico, cultural, religioso", disse Dom Jaime Spengler, ao falar deste "símbolo de fé e cultura da cidade de Porto Alegre". A pedra fundamental foi lançada em 1807.

Silvonei José - Vatican News

Intimamente ligada à história da capital gaúcha, a Igreja Nossa Senhora das Dores, localizada no centro de Porto Alegre, recebeu do Papa Francisco o título de Basílica Menor.  Segundo o documento Domus Ecclesiae (Casa da Igreja) da Congregação para o Culto divino e a Disciplina dos Sacramentos, as basílicas são igrejas dotadas de especial importância para a vida litúrgica e pastoral de uma diocese e, por isso, possuem “um particular vínculo com a Igreja de Roma e com o Sumo Pontífice”.

Ao Vatican News, o arcebispo de Porto Alegre, Dom Jaime Spengler, falou sobre o significado e a importância desta igreja para a vida de fé da cidade - e não só -, bem como sobre a retomada da procissão do Corpus Christi na capital:

Recentemente nós, na Arquidiocese de Porto Alegre, recebemos o decreto do Dicastério para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, de elevação da Igreja de Nossa Senhora das Dores à condição de Basílica Menor. É a primeira vez, que no território da Diocese, uma igreja recebe tal título. Ao longo dos 220 anos de história, a Igreja das Dores tornou-se um símbolo de fé e cultura da cidade de Porto Alegre. E poderíamos também dizer, de todo o Rio Grande do Sul. Adorada e conhecida por muitos que a procuravam e continuam procurando, seja para celebrações e festas populares, seja para visitas - devido a sua imponência arquitetônica e artística - a igreja está inteiramente ligada à história da cidade, tornando-se um verdadeiro patrimônio histórico, cultural, religioso. Herança artística e cultural em nossa sociedade porto alegrense e gaúcha.

A igreja passou por vários percalços no seu itinerário construtivo. Existem histórias e lendas que acompanham, por assim dizer, a história da construção da igreja. Entre mudanças de projeto, incêndios que aconteceram ao longo do tempo, modificações que foram necessárias ao longo do desenvolvimento do projeto e da própria construção a igreja, por fim, chegou a sua beleza que a constitui hoje. Vale Recordar, talvez alguns elementos que constituem o entorno e a própria igreja que a marcam, que a caracterizam. São por exemplo os sinos que vieram da Alemanha, no início de 1900, e que tem um som belíssimo. As escadarias que fazem parte do próprio contexto arquitetônico da igreja - em Porto Alegre a igreja certamente com a mais bela escadaria -, a fachada da do templo, são algumas das características que marcam a arquitetura da igreja. Essa igreja, há uma lenda que diz que, quem a construiu foram escravos, e que certa vez devido a maus tratos, um escravo teria dito que a igreja jamais chegaria a sua conclusão. Verdade é, que hoje ela se encontra - digamos assim, entre aspas - concluída. Mas além disso a lenda permanece no ar. Também merece ser destacado, creio que nesse contexto, que os primeiros registros de casamentos, batizados e óbitos ali realizados, eram realizados os registros em livros separados para as pessoas livres e os escravos. Nós temos registros disto aqui na Cúria Metropolitana.

O templo sempre impactou, ele está de frente para o Guaíba. Quem chegava de navio, por exemplo, de barco pelo Guaíba, vindo de outros Estados ou do interior do Estado, se deparava e se depara com a beleza do templo. Isso fez com que já nos idos 1938, o templo fosse tombado e declarado Patrimônio Histórico e Artístico nacional. Com isto a Igreja Nossa Senhora das Dores tornou-se a única igreja de Porto Alegre tombada em nível nacional pelo Iphan, até aquele período.

Também um outro dado que caracteriza este templo e esta comunidade de Nossa Senhora das Dores é a procissão do encontro que realizamos sempre às Sextas-feiras Santas. A procissão do encontro entre o Senhor dos Passos e Nossa Senhora das Dores. É uma devoção trazida ao Brasil pelos imigrantes açorianos e portugueses no período da colonização e remonta uma tradição desde o século passado, mantendo a expressão ainda viva em várias regiões do país. O festejo popular hoje é promovido pelas paróquias Nossa Senhora da Conceição - também antiquíssima aqui em Porto Alegre - a paróquia Nossa Senhora das Dores e a Catedral Metropolitana, dedicada a Madre de Deus. Atualmente, hoje, a Paróquia Nossa Senhora das Dores ou a Igreja Nossa Senhora das Dores, conta com vários movimentos eclesiais, grupos pastorais, Missas diária, nos finais de semanas são seis Celebrações Eucarísticas. Atualmente, para este ano de 2022, nós temos em torno de 160 catequizandos entre jovens e adultos que estão realizando o processo de iniciação à vida cristã. O cuidado pastoral do tempo e da comunidade conta com a presença de dois presbíteros e um diácono permanente.

Numa expressão de fé, Jesus Eucarístico volta às ruas de Porto Alegre

Hoje também nós estamos celebrando a festa de Corpus Christi e em Porto Alegre é feriado. Várias comunidades fazem a sua procissão, precedida ou não pela celebração da divina liturgia. Nós aqui na Catedral Metropolitana, teremos às 15 horas a celebração eucarística em seguida teremos a procissão até a Igreja Nossa Senhora da Conceição. Faz parte este momento de fé da história da nossa cidade. Após dois anos de pandemia, que transformou, eu daria tantas situações da nossa vida, hoje podemos retomar essa manifestação de fé, tomando todos os cuidados que são propostos pelas autoridades sanitárias: uso de máscaras continua sendo uma exigência, o uso do álcool gel, e claro, a proximidade, uma certa distância entre as pessoas. Graças a Deus, a ciência tem feito o seu caminho e hoje extragrande maioria da população já conta com vacinas - 1 2 3 - e já estamos na quarta dose agora para pessoas com mais de 50 anos. Aos poucos, enfim, vamos vencendo esta situação dolorosa que a pandemia trouxe para nós. Fazemos votos que essa manifestação de fé hoje em torno da Eucaristia seja para todos uma recordação da Paixão-morte e ressurreição do Senhor, sim, a sua doação em favor de todos e ao mesmo tempo a importância de testemunharmos e vivermos a fé nas pequenas comunidades, como nos inícios da Igreja. Que Deus nos abençoe.

O que é uma Basílica Menor

Segundo o documento Domus Ecclesiae (Casa da Igreja) da Congregação para o Culto divino e a Disciplina dos Sacramentos, para obter o título de Basílica Menor, devem existir algumas condições, como segue:

- A igreja, para a qual se pede o título de Basílica, deve ser dedicada a Deus com o rito Litúrgico e tornar-se, na Diocese, um centro de atividade litúrgica e pastoral, sobretudo para as celebrações da Santíssima Eucaristia, da Penitência e dos outros sacramentos, sendo exemplar quanto à preparação e desenvolvimento, fiéis na observância das normas litúrgicas e com a ativa participação do povo de Deus.

- Para que seja possível realizar celebrações dignas e exemplares, a igreja deve ser convenientemente grande e com o presbitério suficientemente amplo. Os vários elementos pedidos para a celebração litúrgica – altar, ambão, sede do celebrante – sejam colocados segundo as exigências da liturgia renovada.

- A Igreja goza de certa fama em toda a Diocese, por exemplo porque foi construída e dedicada a Deus em ocasião de um particular evento histórico ou religioso; ou porque nesta é custodiado o corpo ou uma relíquia insigne de um santo; ou ainda porque se venera em modo particular alguma imagem sacra. Se considerem também o valor da igreja, ou seja, a importância histórica e a sua beleza artística.

- Para que as celebrações dos vários tempos, segundo o progresso do Ano Litúrgico, possam ser conduzidas sempre favorecendo a oração, é necessário um número adequado de sacerdotes. Sejam destinados ao serviço litúrgico e pastoral da igreja, especialmente para as Celebrações da Eucaristia e da Penitência (haja também um adequado número de confessores que, em determinadas horas, sejam disponíveis para atender os fiéis). Pede-se ainda um suficiente número de ministros e um apropriado coral, para favorecer a participação dos fiéis também com a música e com os cantos sacros.



Cadastre-se e receba as Principais Notícias da Diocese no seu Email