Papa Francisco oferece Alimento e teste da Covid-19 para os indigentes, a caridade do Papa para os desabrigados em Roma

Papa Francisco. Crédito: Daniel Ibáñez - ACI Prensa / Teste de coronavírus. Crédito: Pixabay

Vaticano, 13 nov. 20 / 08:34 am (ACI).- Como parte do Dia Mundial dos Pobres que é celebrado este ano no domingo, 15 de novembro, o Papa Francisco oferece testes gratuitos de COVID-19 aos pobres e desabrigados em Roma.

De acordo com relatos da Reuters, os testes estão sendo oferecidos na clínica que o Papa criou há alguns anos na Praça de São Pedro para os indigentes, alguns dos quais vivem nas ruas perto do Vaticano.

O Arcebispo Rino Fisichella, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, disse aos jornalistas que já se realizam em média 50 exames por dia e que esta iniciativa continuará indefinidamente.

 

Aqueles com teste negativo obtêm um certificado para entrar em uma casa para moradores de rua, enquanto aqueles com teste positivo são encaminhados para receber o tratamento correspondente.

Como parte do Dia Mundial dos Pobres, cujo lema é "Estende a tua mão ao pobre", o Papa Francisco celebrará a Missa com os pobres no Vaticano.

Eucaristia será celebrada no domingo, 15 de novembro, dentro da Basílica de São Pedro e as leituras serão lidas pelos pobres. Apenas 100 convidados vão participar devido às restrições sanitárias da segunda onda do coronavírus na Itália.

Dom Fisichella disse recentemente que os convidados representam “todos os pobres do mundo que, neste dia, precisam especialmente da atenção e da solidariedade da comunidade cristã”. Alguns voluntários e benfeitores estarão presentes com eles.

O Pontifício Conselho dirigido por Dom Fisichella preparou um subsídio em várias línguas para este Dia Mundial dos Pobres. Para baixar o texto em português, clique AQUI.

Alimentos e máscaras

"Mais uma vez o Papa Francisco também estendeu a sua mão com várias iniciativas para tornar este Dia concreto", salienta o prelado. Não faltam, de fato, iniciativas de apoio alimentar graças à extensa generosidade de alguns benfeitores. Por conseguinte, foram realizados sinais que expressam a atenção do Papa Francisco. "Com o grande apoio de Roma Cares e a generosidade de Elite supermercados, enviaremos nestes dias 5.000 pacotes de bens de primeira necessidade às famílias de cerca de sessenta paróquias romanas que, especialmente neste período, se encontram em dificuldades", diz dom Fisichella. Para além de alimentos de vários tipos, serão também a enviadas algumas máscaras e um bilhete com uma oração do Papa Francisco. O "obrigado" do prelado vai então para o CEO do time do Roma Guido Fienga para Roma Cares e à família Fedeli, proprietária de Elite supermercados. Os pacotes foram embalados por um grupo de vinte jovens atualmente à espera de emprego.

Dom Fisichella menciona também a fábrica de massas "La Molisana" que também este ano - diz - quis estar presente "nas nossas iniciativas com 2,5 toneladas da famosa massa, que serão destinadas a várias Casas Família e Associações de Caridade". Assim como a Société des Centres Commerciaux Italia s.r.l. e a Fundação Robert Halley, que quiseram apoiar as iniciativas do Santo Padre com a sua generosidade em favor dos muitos pobres. Além disso, com o apoio da UnipolSai Assicurazioni, foi enviado um primeiro lote de 350.000 máscaras para pelo menos 15.000 estudantes de escolas de vários níveis, especialmente nos grandes subúrbios da cidade - um sinal de apoio e um convite aos jovens para não subestimarem os perigos da pandemia.

As mãos e o sorriso

Para o Dia também este ano foi preparado um Subsídio Pastoral, traduzido em cinco línguas: trata-se - assinala dom Fisichella – de "um instrumento eficaz para que o Dia não se limite apenas a iniciativas caritativas, mas essas iniciativas sejam apoiadas pela oração pessoal e comunitária". Finalmente, o prelado volta a citar a Mensagem para  quarto Dia em que o Papa, comentando a frase do Livro da Sabedoria "Em todas as suas ações, lembre-se do seu fim", revela como o texto se presta a uma dupla interpretação: por um lado para ter em mente o fim da existência, uma atitude que nos impele a levar uma vida com atenção aos mais pobres; por outro lado, podemos compreender o fim da vida como um projeto a ser cumprido. E o fim de cada ação só pode ser o amor. Um amor que se exprime não só com a mão estendida mas também com o sorriso "de quem", escreveu o Papa, "não faz pesar a sua presença e a ajuda que oferece, mas regozija-se somente em viver o estilo dos discípulos de Cristo". Um dia, então, ao qual se preparar, estendendo as mãos e abrindo o coração ao sorriso dos outros, reagindo desta forma à cultura dos descartados para abraçar a da fraternidade. 

 



Cadastre-se e receba as Principais Notícias da Diocese no seu Email