Assim se viverá "o perdão de Assis" em tempos de pandemia

ASSIS, 31 Jul. 20 / 09:23 am (ACI).- O tradicional “perdão de Assis” ou a “indulgência da Porciúncula” será realizado em 2 de agosto, mantendo as medidas sanitárias para evitar a propagação do coronavírus COVID-19.

De acordo com o programa publicado pela Diocese de Assis - Nocera Umbra - Gualdo Tadino, no sábado, 1º de agosto, ocorrerá a abertura da solenidade do perdão às 11h (hora local) com uma Missa presidida pelo Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores (OFM), Pe. Michael Perry. Ao concluir a Eucaristia, começará a "abertura do perdão", na qual será possível receber a indulgência plenária até às 12h de 2 de agosto.

O "perdão de Assis" se estende a todas as igrejas paroquiais e igrejas franciscanas do mundo.

No entanto, devido às medidas sanitárias para evitar contágios por COVID-19, este ano a festa do perdão terá algumas mudanças.

Em primeiro lugar, não será realizada a marcha franciscana na qual participam muitos jovens na abertura da porta da Porciúncula.

 

 

Além disso, a Basílica de São Francisco teve que se adaptar às regras do distanciamento social, à higienização dos espaços e espera-se que não haja multidões como nos outros anos.

Por sua vez, o frade franciscano Simone Ceccobao, que mora em Assis, indicou ao Vaticano News que uma mudança significativa será a "transferência das confissões da Basílica para o convento da Porciúncula", uma vez que os confessionários "ainda não podem ser usados, também se criaria uma situação incontrolável para distanciar os penitentes na Basílica”.

Por essa razão, nos dias 1º e 2 de agosto, "o convento dos frades, que normalmente é um espaço de claustro, porque somente muito poucas pessoas além de nós podem entram, será aberto às pessoas que desejam se aproximar ao perdão”.

“Poderíamos dizer que a casa dos frades se torna a casa da misericórdia. O perdão é sempre o perdão. Eu gosto de vê-lo este ano, porque é verdade que ainda existe uma emergência em andamento que nos fez sentir um pouco mais frágeis, um pouco menores, um pouco mais indefesos, mas ao mesmo tempo essa emergência destacou muito fortemente a urgência do perdão que renova nossas vidas”, alertou frei Simone.

Para obter a indulgência plenária para si ou para um falecido ao visitar a Porciúncula, são necessárias a confissão, a participação na Missa e Eucaristia, além de rezar o Credo e o Pai-Nosso pelas intenções do Papa.

A Porciúncula é uma pequena capela dentro da Basílica de Nossa Senhora dos Anjos, nos arredores de Assis, na Itália. Lá, São Francisco de Assis recebeu sua vocação no ano de 1208 e viveu a maior parte de sua vida neste lugar.

No ano de 1216, enquanto Francisco estava na Porciúncula, em oração e contemplação, Cristo apareceu a ele e falou para pedir o favor que quisesse. No centro do coração de São Francisco estava sempre a salvação das almas. Ele sonhava que sua amada Porciúncula fosse um santuário onde muitos pudessem ser salvos, por isso pediu ao Senhor que lhe concedesse uma indulgência plenária (ou seja, uma remissão completa de todas as culpas), para que todos aqueles que viessem visitar a pequena capela , uma vez que se arrependessem de seus pecados e se confessassem, poderiam obtê-la. Nosso Senhor concordou com seu pedido sob a condição de o Papa ratificar a indulgência. E foi o Papa Honório III quem aprovou essa indulgência.

A Porciúncula também foi o local onde São Francisco recebeu os votos de Santa Clara. Em 3 de outubro de 1226, São Francisco morreu e, em seu leito de morte, confiou o cuidado e a proteção da capela aos seus irmãos.

Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.



Cadastre-se e receba as Principais Notícias da Diocese no seu Email